MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
26/09/2014
REVIEW - CINEMA: A BELA E A FERA
 
 
A Bela e a Fera
 
 
 
 
 
 
 
 


A Bela e a Fera já teve inúmeras versões, seja na TV, cinema, quadrinhos ou teatro. A mais recente é uma superprodução francesa, daquelas que até destoam do estilo do cinema no país.

A trama básica todo mundo conhece: Bela é forçada a viver no castelo da Fera e, aos poucos, eles vão se apaixonando. O diferencial deste novo A Bela e a Fera (La Belle et la Bête) é a maneira como explora o restante da história, começando por concentrar a ação na família de Bela (Léa Seydoux).

Enfrentando a falência, um mercador (André Dussollier) se vê forçado a se refugiar numa modesta casa de campo com seus três filhos e três filhas, entre elas Bela, a única a não só aceitar, mas a desejar essa vida mais simples. Quando surge uma chance de recuperar sua riqueza, o mercador não pensa duas vezes, mas acaba se decepcionando ao descobrir que não vai conseguir nada. Pior: descobre o envolvimento e alta dívida de um de seus filhos com criminosos locais, comandados por Perducas (Eduardo Noriega).

Fugindo da gangue, ele acidentalmente chega a um palácio aparentemente abandonado, onde encontra diversos itens de luxo. Mas justamente quando adquire o mais simples dos objetos, uma rosa, é que é jurado de morte pela Fera (Vincent Cassell) dona da propriedade, ofendida pelo roubo da rosa de um local que lhe é tão especial. Se o homem não voltar no dia seguinte, a Fera matará toda sua família.

Mesmo entristecido, o homem aceita seu destino. Diferente de Bela, que toma o lugar do pai e se torna cativa da Fera. Primeiramente morrendo de medo de seu anfitrião, a moça vai, noite a noite, graças a uma presença mística no palácio, descobrindo as origens da Fera, começando a enxergar o trágico homem que ela foi.

Esta nova versão da famosa história explora muito bem todos os aspectos fora do romance entre Bela e Fera, detalhando bem a origem da Fera, utilizando os personagens coadjuvantes e expandindo o lado sobrenatural da trama. Ironicamente, a única coisa pouco desenvolvida é justamente o romance, que parece surgir do nada, como uma obrigação do roteiro, sem ter uma base pela qual se desenvolver. Mesmo as descobertas de Bela sobre a Fera soam mais como curiosidade do que como interesse romântico.

Ainda assim, A Bela e a Fera é um filme caprichado, principalmente no seu visual, retratando bem o período histórico e com bons efeitos especiais, apresentando um visual extraordinário para a Fera.

Infelizmente, no Brasil, o cinema francês não é tão popular, o que parece ter levado a distribuidora a investir em cópias dubladas, que anulam boa parte do encanto da produção.

Elenco: Vincent Cassel, Léa Seydoux, André Dussollier, Eduardo Noriega, Myriam Charleins, Audrey Lamy. Roteiro: Sandra Vo-Anh e Christophe Gans. Direção: Christophe Gans.

Veja também:
- Galeria com duas imagens do filme
- Notícias, vídeos e notas de produção de A Bela e a Fera
- Outros reviews e matérias

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil