MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
13/02/2015
REVIEW - HQ: CAPITÃO AMÉRICA - O NOVO PACTO
 
 
Capitão América - O Novo Pacto
 
 
 
 
 
 
 
 


À época da Segunda Guerra Mundial, o Capitão América estava lá, lutando contra os nazistas. Durante a Guerra Fria, o Sentinela da Liberdade enfrentou as forças soviéticas. No período da Guerra do Vietnã, Steve Rogers se viu numa peleja diante dos asiáticos comunistas. E assim foi... O estandarte patriótico da Marvel sempre combatendo as inimigos que atentavam contra a liberdade e os ideais mais elevados de sua nação, tudo, é claro, sob um ponto de vista praticamente unilateral. Não que o ponto de vista de Hitler e seus asseclas merecesse debate, mesmo porque eles nunca ofereceram esse direito a quem discordasse de suas ideologias insanas.

Porém, o mesmo não pode ser dito em relação aos demais desafetos dos Estados Unidos da América. Se os comunistas não foram santos, o mesmo pode ser dito sobre o neoliberalismo estadunidense. Quanto aos demais inimigos que os EUA foram criando por aí, a questão é ainda mais delicada. Basta uma pesquisa apenas sobre a história recente da relações políticas internacionais da terra do Tio Sam e muita coisa deixa de ser tão preto no branco.

Obviamente, os atentados ocorridos em 11 de setembro de 2001 não poderiam ficar de fora da vida do Capitão. Porém, como o mundo não é mais o mesmo e nem todos engolem a unilateralidade outrora tão disseminada nas páginas dos quadrinhos do supersoldado, a questão não poderia ser abordada com o mesmo modelo de sempre. Caso contrário, tudo poderia se tornar um incômodo tiro no pé, já que hoje muitos países acompanham as narrativas da Marvel, e nem todos compartilham do ponto de vista estadunidense. E John Ney Rieber decidiu que o primeiro arco de histórias do Capitão América pós 11 de setembro trataria a questão de forma mais neutra. No entanto, a parcela de culpa dos Estados Unidos, como era de se esperar, foi atenuada para dar lugar a uma vitimização imprudente diante de todas as mazelas que o país causou ao mundo, principalmente aos países mais pobres e amplamente explorados.

Assim, o que vemos em O Novo Pacto não passa de retórica patriótica com um pinguinho de sentimento de culpa ou, no máximo, de um senso de responsabilidade tardio e difícil de ser admitido. A HQ basicamente é um amontoado de reflexões de Steve Rogers diante das atrocidades inconcebíveis cometidas contra os civis de seu país, cidadãos comuns que foram decretados como inimigos mortais e dizimados covardemente por fundamentalistas cheios de ódio e armados até os dentes. Sem dúvida, uma das maiores manchas de sangue na história da nação mais poderosa do Ocidente. E Rogers busca entender isso da melhor maneira possível, só que sempre pela ótica de um norte-americano que realmente enxerga seu país como a grande nação da liberdade. O resto do mundo é apenas pedra no sapato quando não partilha dos mesmos ideais. Aliados são somente aqueles que fingem que a miséria e a injustiça nos países do terceiro mundo simplesmente não existem, geralmente porque tiram proveito disso.

Para um leitor que mora em um desses países pobres, fica difícil tolerar o discurso de liberdade e justiça acima de tudo despejado o tempo todo pelo Capitão América. Não porque o ideal em si não seja valioso, mas porque o buraco fica mais embaixo. Tudo não passa de discurso ideológico e protecionista para americano ver e adorar. O máximo que vemos em O Novo Pacto é o Capitão salvando a pele de um muçulmano norte-americano que estava prestes a ser linchado por um grupo de pessoas que tiveram familiares dentre as vítimas do World Trade Center. Em contrapartida, o vilão da história tem as motivações mais fracas e questionáveis possíveis, num discurso que reduz ao máximo a seriedade da questão que envolve os países árabes e os Estados Unidos da América.

Temos, portanto, o mais do mesmo da velha neutralidade mais imparcial do planeta. Uma história em quadrinhos para ser vista de diferentes formas, dependendo de qual país o leitor nasceu.

Capitão América – O Novo Pacto (Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel Vol. 27) - 168 páginas - formato 17 x 26 cm - R$ 32,90 - lançado em janeiro de 2015 – Editora Salvat do Brasil (coleção prevista para ter 60 volumes).

Veja também:
- Notícias diversas sobre o Capitão América
- Outros reviews e matérias

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil