MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
10/07/2015
REVIEW - CINEMA: O EXTERMINADOR DO FUTURO - GÊNESIS
 
 
O Exterminador do Futuro: Gênesis
 
 
 
 
 
 
 
 


Desde que James Cameron se despediu no segundo filme da franquia, O Exterminador do Futuro vem enfrentando sérias dificuldades para encontrar seu caminho. O Exterminador do Futuro: Gênesis (Terminator Genisys), com direção de Alan Taylor (Game of Thrones, Thor: O Mundo Sombrio) ainda padece desde mesmo mal.

Seguindo o rumo de outra saga da ficção científica, Star Trek, o filme é mistura de reboot e continuação, se utilizando de viagens no tempo, marca registrada da franquia, para ao mesmo tempo revisitar os eventos do filme original e mudar tudo, tentando criar uma nova direção.

Como antes, John Connor (Jason Clarke), o líder da resistência humana contra a inteligência artificial Skynet, manda Kyle Reese (Jai Courtney) ao passado para proteger sua mãe, Sarah Connor (Emilia Clarke), só que, logo que chega, Kyle descobre que tudo mudou, outros Exterminadores foram enviados ao passado e a linha temporal é inteiramente nova, cheia de inesperadas complicações.

Mantendo a tradição de ação desenfreada, correria e viagens temporais para tentar mudar o futuro, Gênesis na verdade é muito bem sucedido em criar elementos interessantes. Por exemplo, a cena inicial explora muito bem John Connor no comando da resistência, algo que nunca havíamos visto para valer nos filmes anteriores.

As mudanças na linha temporal são bem pensadas, criando situações realmente novas, unidas a ótimas sacadas com momentos chave dos filmes anteriores. Mas tudo isso acaba sendo desperdiçado em meio a um longa-metragem sem alma, vazio. O Exterminador do Futuro: Gênesis carece da atmosfera dos dois primeiros filmes da saga. Não é soturno e pessimista como o primeiro longa, nem apresenta o festival de efeitos especiais de primeira visto no segundo capítulo.

Falta uma identidade para o filme. Todo o elenco está muito fraco, ao ponto do sempre canastrão Jai Courtney ser o melhor entre eles. Mesmo Arnold Schwarzenegger, que volta ao seu clássico papel de Exterminador, está apagado. Diga-se de passagem, em nenhum outro exemplar da série o Exterminador passou tão longe de ser o protagonista, servindo mais de alivio cômico.

Atrapalha também o excesso de efeitos especiais exageradamente artificiais. Faz falta a maquiagem caprichada de outrora, bem como os "efeitos práticos" que na maioria das vezes obtém resultados bem melhores do que o CGI puro.

Resumidamente, O Exterminador do Futuro: Gênesis é cheio de boas intenções e ideias, mas a execução decepciona. Mesmo assim, alguns mistérios deixados em aberto (incluindo uma boba e óbvia cena entre os créditos) abrem a possibilidade de continuações que podem desenvolver satisfatoriamente os bons elementos inseridos neste filme.

Elenco: Arnold Schwarzenegger, Emilia Clarke, Jai Courtney, Jason Clarke. Direção: Alan Taylor.

Leonardo Vicente Di Sessa é jornalista e crítico de tudo relacionado à cultura pop. Além de colaborar com o HQ Maniacs, mantém também o Fala Animal! - http://fala-animal.blogspot.com.br -, blog sobre quadrinhos, cinema e seriados.

Veja também:
- Galeria com 36 imagens do filme
- Notícias, vídeos e notas de produção de O Exterminador do Futuro: Gênesis
- Notícias diversas sobre O Exterminador do Futuro
- Outros reviews e matérias

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil