MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
22/07/2015
MATÉRIA: AS VÁRIAS FACES DE HANK PYM
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Em meados do que se convencionou chamar de a Era de Prata das Histórias em Quadrinhos, mais precisamente em janeiro de 1962, na revista Tales to Astonish #27, título que surgiu como uma antologia de histórias de ficção científica, ocorreu a primeira aparição de um personagem da Marvel Comics que, apesar de sua importância para a cronologia da editora, viveu diversos altos e baixos em sua carreira como super-herói.

Hank Pym surgiu como um cientista de primeira grandeza, especialista em redução de matérias. Em sua primeira história solo, de apenas sete páginas, com argumento de Stan Lee, roteiro de Larry Lieber, desenhos de Jack Kirby e arte-final de Dick Ayers, Pym cria as “partículas Pym” com o intuito de trazer benefícios à humanidade. Mas a ideia não convence a comunidade científica, que passa a ridicularizar os projetos do cientista. Abalado pela falta de credibilidade e pelo falecimento de sua esposa, a húngara Maria Trovaya, Pym utiliza a fórmula de encolhimento em seu próprio organismo. Com o tamanho bastante reduzido, ele acaba vivendo sua primeira aventura ao entrar em confronto com formigas dentro de um formigueiro.

Leva-se a crer que a história agradou os leitores, já que o personagem recebeu uma nova aventura, iniciada em Tales to Astonish #35, de setembro de 1962. Usando uniforme e assumindo o codinome Homem-Formiga, o diminuto herói protagonizou uma história em três partes com treze páginas cada: “Return of the Ant-Man”, “An Army of Ants” e “The Ant-Man’s Revenge”. E voltou para ficar na edição #44 (junho de 1963) da mesma revista, que trazia a primeira aparição da socialite Janet van Dyne, que torna-se assistente de laboratório de Pym e, posteriormente, sua namorada, antes de adotar o codinome de Vespa.

Os dois passam a atuar juntos com seus poderes de encolhimento, até que, alguns meses após o primeiro encontro do casal, é lançado um dos títulos mais importantes da história da Casa das Ideias, The Avengers #1, em setembro de 1963, apresentando a equipe criada por duas lendas dos quadrinhos: Stan Lee & Jack Kirby. E Hank e Janet estavam lá, na capa da primeira edição, como membros fundadores dos Vingadores, a maior superequipe da Marvel e uma das maiores de toda a história dos quadrinhos de super-heróis. Ambos aparecem à frente em tamanho diminuto e vestindo trajes na cor vermelha, prontos para enfrentarem Loki, o deus da trapaça, juntos com Homem de Ferro, Hulk e Thor, o deus do trovão.

Daí em diante, Pym passou a adotar diferentes identidades. Eventualmente, o personagem estava com um novo uniforme, novo nome, novos poderes. A primeira mudança ocorreu já em Tales to Astonish #49, de novembro de 1963, quando adotou o nome de Gigante (Giant-Man, no original) por ter adquirido o poder de aumentar de tamanho, o que o permitia ficar com até quatro metros de altura.

Gigante e Vespa permaneceram no título até a edição #69, de julho de 1965, e também marcaram presença constante em The Avengers até a edição #15, de abril de 1965, quando deixaram temporariamente a equipe. Pym retornou aos Vingadores na edição #28 (maio de 1966) como Golias, até sofrer uma crise de identidade por causa de distúrbios mentais (causados por gases que inalou durante um experimento, anos depois, seria definido que o personagem sofre de esquizofrenia) e assumir mais um codinome: Jaqueta Amarela, na edição #59, de dezembro de 1968. Por um tempo renegando sua própria identidade como Pym, o herói se casa com a Vespa.

Foi nesta mesma época que o cientista criou Ultron, que teve sua primeira aparição em The Avengers #54 (julho de 1968), edição escrita por Roy Thomas e desenhada por John Buscema. O robô logo se aprimora criando um corpo de adamantium, o que o tornou quase indestrutível e trouxe muitos problemas quando se rebelou e atacou os Vingadores. Após o confronto, Ultron foi aparentemente destruído, mas seu programa permaneceu operante e passou a aperfeiçoar seu corpo de metal, com diversas versões subsequentes. E em meio a isso tudo, o Ultron 5 criou o personagem Visão, a partir do corpo do Tocha Humana original (ou mais ou menos isso, já que os detalhes envolvem até realidades alternativas).

Mas voltando ao Dr. Hank Pym... O personagem só voltou a adotar o nome de Homem-Formiga em The Avengers #93, de novembro de 1971, e obteve bom retorno dos leitores quando fez uma participação especial na revista Iron Man #44. Isto lhe garantiu um lugar como protagonista na revista Marvel Feature, nas edições #4-10, com direito a participação de sua companheira Vespa a partir do número 6.

Em 1979, o ex-criminoso Scott Lang se viu forçado a roubar o equipamento do Homem-Formiga para salvar sua filha doente. Ainda assim, demonstrou heroísmo ao salvar a médica que podia ajudar sua filha. Depois da missão cumprida, Lang tentou devolver o equipamento a Pym, que acabou dando seu aval para que Lang continuesse agindo como o novo Homem-Formiga.

Pym voltou a integrar os Vingadores década de 1980 como Jaqueta Amarela. Cada vez mais perturbado e violento, agrediu sua esposa e até um inimigo de maneira traiçoeira. Tentando recuperar seu prestigio junto aos Vingadores, construiu um robô para atacar a equipe e posar de herói. O plano saiu pela culatra e Pym acabou ainda pior: expulso da equipe e divorciado de sua amada. Pouco depois, foi parar até na cadeia ao ser manipulado por um velho inimigo, o Cabeça de Ovo. Após provar sua inocência, Hank decidiu continuar sozinho e se dedicar apenas à sua carreira como cientista.

Ainda assim, ele passou a integrar uma nova equipe, os Vingadores da Costa Oeste, em West Coast Avengers #21, de junho de 1987. Neste período, ele atuou com um macacão vermelho e sem codinome, usando seus dons científicos e inúmeros apetrechos encolhidos pelas partículas Pym e convenientemente guardados em seus bolsos. Pouco a pouco, como passou a acontecer constantemente desde então, reatou seu relacionamento com a Vespa.

Na década de 1990, Pym voltou à identidade de Gigante e às fileiras da equipe principal de Vingadores. Na saga Massacre, se sacrificou juntamente de diversos heróis para salvar o mundo, apenas para ser "revivido" no mundo alternativo de Heróis Renascem, onde continuou integrando os Vingadores até a volta ao seu mundo original.

Quando os Vingadores voltaram ao seu lar, Gigante e Vespa decidiram dar um tempo da equipe, mas sempre voltavam a atuar, como é de costume. Na minissérie Vingadores Eternamente, integrantes do grupo de diversas épocas são convocados pelo tempo. Ressaltando os problemas mentais de Pym, a saga o mostrou em dois momentos distintos: como o Gigante do presente e como o Jaqueta Amarela do passado, quando negava ser Pym.

Isso acabou tendo consequência no título mensal dos Vingadores. Pym e Jaqueta Amarela se tornam duas entidades distintas, mas começam a deteriorar. Hank enfim aceita suas imperfeições e todas suas facetas e une suas duas metades, voltando a atuar como Jaqueta Amarela.

Quando uma série de eventos trágicos desencadeou na dissolução do grupo em The Avengers Vol. 1 #500, no famoso arcoA Queda”, com roteiro de Brian Michael Bendis, Hank e Janet deixaram o grupo e voltaram a viver como casal, mudando-se para a Inglaterra por consequência de uma bolsa que o cientista aceitou da Universidade de Oxford.

Não muito tempo depois teve início a “Guerra Civil”, em maio de 2006, quando o governo norte-americano sanciona uma lei que obriga todos os super-heróis a se registrarem perante a lei e a revelar suas identidades secretas. A medida causa uma enorme ruptura e os heróis se dividem de acordo com seus ideais, em um grupo contrário ao registro, comandado pelo Capitão América, e outro pró-registro, liderado pelo Homem de Ferro. O Jaqueta Amarela fazia parte da linha de frente deste último grupo e foi um dos primeiros a se registrar no governo. Após a conclusão da saga, Pym se tornou diretor da Iniciativa dos 50 Estados e comandava, ao lado do Máquina de Combate, o Campo Hammond, que treinava heróis para lutarem em nome do governo dos Estados Unidos.

Cerca de um ano depois, veio “Invasão Secreta”, a partir de junho de 2008, que mudou radicalmente a vida de Hank Pym, afinal descobrimos que algum tempo depois de "A Queda" ele foi substituído por um transmorfo skrull. Foi neste arco que ocorreu a morte de Janet van Dyne, ocasionada por um confronto com os alienígenas skrulls. O infortúnio resultou na edição especial Secret Invasion: Requiem, publicada em janeiro de 2009, na qual Hank assume uma nova identidade em memória de sua falecida ex-esposa, adotando o codinome de Vespa, num momento bastante comovente da história da Marvel:

"Ao longo dos anos, eu tenho me reinventado como super-herói tantas vezes... Homem-Formiga, Gigante, Golias, Jaqueta Amarela... sempre tentando esculpir um legado para mim. Mas agora...? ...Não consigo imaginar nada mais apropriado do que tomar... o manto de alguém. Da maior heroína que já conheci. Me chame de... o Vespa!"

No papel de Vespa, Pym liderou os Poderosos Vingadores e foi enganado por Loki e levado a crer ser o "cientista supremo" da Terra. Com o fim desta equipe, arquitetou a Academia de Vingadores, onde ao lado de outros heróis, passou a treinar jovens com poderes que tinham tendência a se tornarem supervilões, numa tentativa de guiá-los corretamente. Em pouco tempo o cientista voltou a ser o Gigante e ficou feliz ao descobrir que sua ex-esposa ainda estava viva.

Já na saga A Era de Ultron, a criação de Pym enfim dominou o planeta. A chance de salvação foi uma viagem no tempo feita por Wolverine e Mulher-Invisível, que resultou na morte de Pym no passado e um futuro ainda mais negro. A solução acabou sendo garantir a criação de Ultron, mas com uma modificação: desta vez Pym instalou uma salvaguarda que permitiu a derrota do vilão.

Após mais essa provação, Hank mais uma vez abandonou uniformes e fundou mais uma equipe de Vingadores chama Avengers A.I., composta quase inteiramente por inteligências artificiais, incluindo o Visão e Victor Mancha (um "filho" de Ultron). Em paralelo, vez por outra adotou novamente suas personas super-heroicas, principalmente para ajudar o Demolidor.

Além da continuidade normal da Casa das Ideias, Pym também teve destaque na versão Ultimate dos Vingadores, chamada Os Supremos, cuja primeira aparição foi em The Ultimates #1, de março de 2002. Nesta versão mais “adulta” dos Vingadores – ou, pelo menos, mais violenta e pé no chão –, o doutor Hank Pym é um cientista brilhante, mas com sérios problemas psicológicos. Um herói que vive à base de Prozac e que recebe seus poderes após uma transfusão do sangue oriundo de sua mulher, Janet, que aqui é uma mutante. O Gigante comete atitudes execráveis durante o primeiro volume da série, como na ocasião em que agride Janet durante uma acalorada discussão de casal (numa versão bem mais violenta do que aconteceu no Universo Marvel tradicional). Mas ele toma o dele depois, quando o Capitão América fica sabendo do ocorrido. Nesta versão, Pym é expulso dos Supremos, passando pouco tempo com os Defensores na identidade de Homem-Formiga. Se torna o Jaqueta Amarela e retorna aos Supremos, acabando por se sacrificar para salvar seus companheiros.

Como a franquia de filmes dos Vingadores tem forte influência da linha Ultimate, com o Nick Fury negro, fica fácil supor os porquês de Hank Pym ter sido excluído dos filmes. Afinal, nenhum produtor que se preze quer ter um personagem que espanca mulheres e com sérios distúrbios de personalidade, ainda mais em filmes com potencial para atrair o público infanto-juvenil. Seria um tiro no pé e também nos cofres do Marvel Studios e, consequentemente, da Walt Disney Pictures. Pym não apareceu como membro original dos Vingadores no primeiro filme e nem é mencionado como criador do robô Ultron no segundo longa.

Na verdade, um filme do Homem-Formiga vinha sendo planejado por anos e deveria fazer parte da Fase Um dos filmes da Marvel. Contudo, as várias releituras do roteiro e o risco de apostar num personagem não conhecido do grande público adiaram a produção.

O longa finalmente estreou, fechando a Fase Dois. Hank Pym dá as caras pela primeira vez nas telonas, onde é vivido pelo veterano Michael Douglas, como mentor de Scott Lang, o segundo Homem-Formiga nos quadrinhos. O Jaqueta Amarela também está presente, mas numa versão bem diferente, sendo o vilão e sem Pym por debaixo da máscara.

*Por Leonardo Porto Passos, com uma grande ajuda de Leonardo Vicente Di Sessa.

Veja também:
- Review do filme Homem-Formiga
- Notícias diversas sobre o Homem-Formiga
- Outras matérias e reviews

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil