MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
20/09/2004
MATÉRIA: A INFINITA SAGA DO INFINITO - PARTE 2
Por: x
 
 
Silver Surfer #34: o retorno do titã
 
 
Silver Surfer #44: nas garras de Thanos
 
 
The Infinity Abyss #3: Abismo Infinito
 
 
Marvel Apresenta #13: O Fim do Universo
 
 
Silver Surfer #46: a volta de Warlock
 
 
The Thanos Quest #1: em busca do poder
 
 
The Thanos Quest #2: jogos e prêmios
 
 
The Infinity Gauntlet #1: Desafio Infinito
 


:: A ressurreição de Thanos No final da década de 1980, o Surfista Prateado voltou a ter uma série mensal, a sua terceira série (a 2ª teve apenas uma edição), e distante da melancolia da década de 1960 logo se viu livre da barreira de Galactus. É nesta série sob a tutela de Steve Englehart que vemos o aproveitamento de parte do casting criado por Starlin na década de 1970, com tramas que envolvem personagens cósmicos e que trazem de volta as jóias espirituais (numa aventura com Reed e Sue Richards). Estas aventuras não foram publicadas no Brasil, mas não acrescentam nada à trama da Saga do Infinito, visto que Thanos não participa destas aventuras. Apesar da arte de Marshall Rogers (Detective Comics) a série não havia emplacado e em 1990, Jim Starlin retorna à Marvel e assume a série, que tinha Ron Lim (X-Men 2099) no lápis e Tom Christopher nos finais. Não demorou muito e Thanos estava de volta! Em Silver Surfer #34-38, 3º volume (Superaventuras Marvel #131-134, maio-agosto/1993, Editora Abril) Thanos tem autorização da Morte para retornar de seu reino com uma missão específica: eliminar metade dos seres vivos! A Morte notava um desequilíbrio cósmico: estavam nascendo mais pessoas do que morrendo, então ela resgata seu antigo amante da morte para dar prosseguimento à sua missão anterior. Mas lentamente descobrimos que Thanos voltou diferente após ter experimentado a morte. Além de mais introspectivo e inteligente, Thanos está menos violento, menos belicoso, preferindo os grandes jogos mentais e planos elaborados, a um confronto direto e insensato. Estas posturas ficam mais evidentes nas sagas seguintes, em especial Thanos – Em Busca do Poder e Desafio Infinito. Em Silver Surfer #35 (Superaventuras Marvel #132), Kronos, ao perceber que Thanos voltou dos mortos, invoca Drax, o Destruidor novamente, que ironicamente volta com problemas de raciocínio, incapaz de pensamentos inteligentes e geralmente usado como personagem cômico. Na edição seguinte, o Surfista vem à Terra para saber quem é Thanos nos arquivos dos Vingadores, e ainda perde tempo com o Homem-Impossível. Na edição #37, o Surfista encontra-se com Mentor, Eros e finalmente Drax – o time todo estava de volta. Na última edição da saga, Nebulosa, a misteriosa neta de Thanos que já havia aparecido diversas vezes em aventuras dos Vingadores, encontra seu avô que retoma sua nave Santuário, que estava sendo usada como base por Nebulosa. Thanos negando a relação com a vilã a incendeia, mas apesar dos ferimentos ela sobrevive. Nesta edição, disposto a ganhar tempo para seus planos, Thanos finge sua morte. :: Em busca do poder Enquanto o Surfista espalha a informação de que Thanos novamente está morto, a saga do titã louco continha na mediana Thanos Quest #1-2 (1989, Thanos – Em Busca do Poder #1-2, agosto-setembro, 1993, Editora Abril) que no Brasil foi publicada em minissérie com formato americano! Com roteiro de Jim Starlin, e arte de Ron Lim e John Beatty, nesta série Thanos percebe que mesmo com os poderes ampliados pela Morte, não será possível matar 50% da população do universo, e então, sai em busca das jóias espirituais que ele já havia usado anteriormente. Sobre sua tentativa anterior, o introspectivo Thanos argumenta: “Naquela época, eu não tinha me dado conta da verdadeira natureza das gemas! Eu as utilizei como um martelo, quando na verdade, eram um bisturi de um cirurgião!” Thanos consegue a autorização da Morte e assim engana os seres cósmicos da Marvel. Do Intermediário (não por acaso criado por Starlin na série Warlock) consegue a gema que um dia pertenceu a Adam Warlock, a única verdadeira gema espiritual. Em seguida, do Campeão a jóia do poder. Do clássico personagem Jardineiro, Thanos consegue a jóia do tempo. Do Colecionador e do Corredor, dois outros Anciões do Universo, Thanos obtém as jóias da realidade e do espaço. Por fim, do Grão-Mestre, outro ancião que esteve envolvido com o Esquadrão Supremo e Os Vingadores na década de 1970, Thanos consegue a jóia da mente. Curiosamente não há referências à The Incredible Hulk #245-248, 1980 (O Incrível Hulk #8-9, janeiro-fevereiro de 1984), de Bill Mantlo e Sal Buscema onde após enfrentar o Capitão Marvel (Mar-Vell), Hulk vai para Kai, o mundo de Jarella, sua amada morta, e descobre que o mundo transformou-se em um deserto árido e somente o vale da vida tem o esplendor de outrora mantido pela jóia espiritual de Adam Warlock, que foi furtada de seu túmulo na Contra-Terra pelo Jardineiro. Hulk enfrenta o Jardineiro e consegue derrotar o ancião tomando-lhe a jóia espiritual e arremessando-a ao centro de Kai onde ela funde-se à lava do centro do mundo e transforma novamente a superfície, agora de todo o planeta. Por fim, Hulk sepulta Jarella e graças ao Jardineiro retorna a Terra. Durante a saga e nas seguintes é citado que as gemas são partes de um ser supremo que se suicidou e assim criou o primeiro dos universos conhecidos. É bom, no entanto, lembrar que cada realidade tem seu próprio conjunto de seis gemas, afirmando que elas não são únicas em toda a existência. Vários What If... ?, série regular da Marvel que é conhecida no Brasil como “O que aconteceria se...?” apresentam soluções diferentes para as tramas e outros conjuntos de seis gemas. Com as gemas, Thanos tem o poder da mente, alma, realidade, tempo, espaço e poder, tornando-se a criatura mais poderosa da existência! Mas para ironia do destino, Thanos ainda não consegue falar diretamente com sua amada! Desde ressuscitado, Morte usa intermediários para falar com Thanos a quem considera um inferior. Quando Thanos assume o poder supremo, Morte usa os intermediários por que não pode dirigir-se diretamente à uma criatura de tão imenso poder. Irado, Thanos destrói um dos dois intermediários, irritando profundamente a senhora de seu coração. E termina a série com seguinte recordatário: “Thanos, o ardiloso e supremo estrategista. Eu estabeleci uma busca fora do alcance de qualquer ser além de mim. Eu tive sucesso. Arranquei as rédeas do poder dos seres supremos. Nenhuma criatura racional jamais sonhou com o que eu concretizei.” “Como poderia imaginar que minha transformação em deus seria uma vitória tão vazia?” :: O retorno de Warlock Com o cenário armado só faltavam algumas pontas soltas a serem amarradas. Em Silver Surfer #44-45, 1990 (Superaventuras Marvel #148, out-1994, Ed. Abril) o Surfista descobre que Thanos ainda está vivo. O deus louco está usando as gemas espirituais como uma Manopla do Infinito (Infinity Gauntlet, o nome original de Desafio Infinito). Ele seqüestra o Surfista e Drax para brincar com eles e anuncia o seu novo status divino. Nestas edições entra na trama mais um perigosíssimo jogador: Mefisto, o demônio oficial da Marvel. Disposto a obter para si a Manopla do Infinito, Mefisto finge obediência a Thanos, que sabe que será em algum momento traído pelo demônio. Thanos descobre que sua neta Nebulosa ainda está viva apesar de muito queimada e próxima à morte – e decide prolongar indefinidamente a dor dela. Mefisto narra a origem dos demônios e novamente confirma que as jóias eram parte do ser supremo. Supostamente, Mefisto mostra à Thanos meios de usar as jóias de maneira única e integradas ao cosmo – não sem antes tentar traí-lo e ser frustrado. Em Silver Surfer #46 (Superaventuras Marvel #149) Jim Starlin leva o Surfista e Drax ao Mundo da Jóia Espiritual para onde foram absorvidos por Thanos e lá encontram Gamora, Pip e Adam Warlock! Warlock tornou-se uma espécie de guru para aquele povo, que é composto pelas centenas de almas que ele absorveu antes de morrer, vivendo em uma espécie de Utopia. É Adam o primeiro a dizer que a alma do Surfista foi manipulada. Talvez por Galactus! Em Silver Surfer #47 (Superaventuras Marvel #150), o herói luta contra Drax para deter a insanidade temporária do confuso personagem. Por fim, usando poderes místicos, Adam envia Drax e Surfista de volta ao universo exterior à jóia. Em Silver Surfer #48 (Superaventuras Maravel #151) um grande erro de avaliação do Surfista Prateado é corrigido, quando ele descobre que Galactus manipulou seus sentimentos de modo a ele não importar-se com as populações das centenas de planetas onde ele levou o Devorador de Mundos antes de chegar na Terra, e assim a memória de infinitas vidas ceifadas volta e corrói a alma já sobrecarregada do Surfista. Não fica clara em nenhum momento a razão de porque o Surfista importou-se mais com a Terra, ou por que o controle de Galactus diminuiu seu efeito aqui. No Mundo Espiritual, Warlock decide tomar um papel mais ativo na trama. Na edição seguinte, Silver Surfer #49 (Superaventuras Marvel #152, fevereiro de 1995) já com Ron Marz (The Green Lantern, 3º volume) nos argumentos, na história intitulada “Desvio”, Thanos ataca o Surfista que ruma para a Terra para avisar os nossos heróis. Em Silver Surfer #50 (Superaventuras Marvel #153) Jim Starlin assina seu último roteiro para o Surfista publicado no Brasil, onde pecados da alma do herói são explorados e lembranças de mágoas de Zenn-La vêm à tona. Talvez o Surfista não seja tão puro quanto imaginávamos... uma edição perfeita que faz grande acréscimo à origem clássica do personagem feita por Stan Lee & John Buscema. Por fim o herói cósmico chega a Terra e cai na Mansão do Dr. Estranho... :: A Manopla do Infinito A partir daí a história passa a ser contada na série Desafio Infinito (The Infinity Gauntlet #1-6, Julho-Dez.1991, EUA, Desafio Infinito #1-3, Março-Maio.1995, Ed. Abril). A Editora Abril não publicou alguns crossovers da saga e deixou de publicar a série regular do Surfista Prateado. Os crossovers são: The Incredible Hulk #383-385, 2º volume; Silver Surfer #51-55, 3º volume; Dr. Strange #31-33, 2º volume e Quasar #26-27. Destes, somente as aventuras do Hulk foram publicadas em O Incrível Hulk #141-143, março-maio.1995, Ed. Abril. Elas tinham Peter David, Dale Keown e Mark Farmer e representam parte de um momento importante na cronologia do Hulk, que conseguiu casar qualidade de texto com qualidade de arte. Percebendo o que tinha nas mãos a Marvel contratou o respeitadíssimo e competente artista George Pérez para assumir a arte da série The Infinity Gauntlet. Infelizmente o artista teve atrasos devido a estar fazendo a arte de uma mega-sega da editora rival (a saga War of Gods da DC Comics) e só desenha até o terceiro número, sendo o restante desenhado por Ron Lim, e nas finais Josef Rubinstein com auxílio de Tom Christopher. No roteiro, é claro, Jim Starlin! Na edição #1 Thanos torna-se um deus e niilista (a declaração que Thanos tornou-se niilista é feita pelo Dr. Estranho, mas a página foi cortada da edição nacional, como se fosse possível cortar excessos no conjunto Jim Starlin/George Pérez). Warlock, Gamora e Pip reencarnam nos corpos de pessoas que morreram em um acidente. Irritado com a indiferença da Morte, Thanos realiza o pedido de sua senhora e elimina 50% da humanidade! Na edição #2 o universo reage ao desaparecimento de 50% das pessoas e Warlock contata o Dr. Estranho, para estabelecer uma parceria. Eros ou Starfox, dos Vingadores, é raptado por seu irmão. Odin convoca um conclave de deuses chefes de vários panteões, reunindo Zeus, do Olimpo, Itzamna, da civilização Maia, Osíris, do Egito, Nvada, da cultura celta, Tezcatlipoca, da civilização azteca, Svarog, da Rússia e Manitu, dos índios norte-americanos. Warlock e Pip unem-se a Dr. Estranho, Dr. Destino (Victor Von Doom) e Surfista Prateado. Ondas de choque de um ataque de ira destrutivo de Thanos causa destruição universal. Destrói o Japão e aprisiona o conclave de deuses em Asgard! Infelizmente toda vez que é mostrada a Mansão dos Vingadores os editores acham necessário adulterar a arte de George Pérez e trocar o “A” estilizado da frente da mansão por um “V” por causa da tradução do nome Avengers para Vingadores. Será que os leitores brasileiros são incapazes de entender? Na 3ª edição alguns heróis continuam a salvarem vidas enquanto o time reunido por Warlcok convoca Homem de Ferro, Wolverine, Homem-Aranha, Ciclope (na época líder do X-Factor), Drax, Senhor do Fogo, Nova (dos Novos Guerreiros), Namor, Manto (da dupla Manto & Adaga), Feiticeira Escarlate, Hulk e os Vingadores Thor, Visão, Mulher-Hulk e Capitão América. Warlock e Surfista Prateado unem-se a Quasar e Eon (responsável pela consciência cósmica do Capitão Mar-Vell e que transferiu a responsabilidade de guardião do universo para Quasar) para reunirem as entidades cósmicas Vigia, Lorde Caos, Mestre Ordem, o Estranho, Amor, Ódio, Eternidade, Kronos, Tribunal Vivo, Galactus e representantes dos Celestiais. O sintozóide Visão avisa ao leitor e à Mulher-Hulk que a razão das derrotas anteriores de Thanos foram ele próprio! O vilão quis ser derrotado e assim permitiu ser derrotado, e talvez agora não queira! Ao retornar à Mansão, o clima de tensão faz com que os heróis discutam, em especial devido à presença do Dr. Destino. Em reservado Warlock autoriza Wolverine e Hulk a usarem força extrema e recursos definitivos contra Thanos se tiverem chance. Em outras palavras: matá-lo! Por fim na quarta edição, a batalha. Mas Thanos congela o tempo e somente graças à manipulação de Mefisto e desejando impressionar a Morte, ele assume um papel mais humano na batalha. Enquanto isso Surfista e Warlock assistem à distância. A luta é grandiosa, mas nós sabemos o destino dos heróis. Thanos é o ser supremo e não será derrotado. A própria batalha só esta acontecendo por que ele permite. Um estratagema de Warlock tem a intenção de roubar a manopla... mas falha! Reconhecendo que falhou, Adam invoca as entidades cósmicas. Na quinta edição, uma nova batalha agora em tom cósmico e Thanos é traído pela sua amada Morte – vindo assim ao final da série abandonar o niilismo, e evoluir como personagem e ser fictício. Warlock e Surfista fogem enquanto Thanos aprisiona os seres cósmicos e une-se à própria Eternidade! Porém ao assumir o status divino Thanos deixa seu corpo desprotegido e Nebulosa, sua neta, rouba a manopla e reverte o quadro, enviando Thanos para o espaço exterior. Thanos é resgatado por Warlock que em reservado revela que teve acesso à alma do titã e que ele próprio é responsável por suas derrotas fornecendo as condições para que elas ocorram. Isto surte um efeito devastador no vilão, que reflete sobre a razão de Adam. Agora Hulk, Thor, Dr. Destino, Drax e Senhor do Fogo enfrentam Nebulosa e são derrotados. Em seguida surgem Dr. Estranho, Surfista, Warlock e Thanos para retomarem a manopla. Na conclusão da saga, Nebulosa restaura o universo ao formato de 24 horas antes. Inexperiente, ela não percebe a presença física e espiritual de Warlock e enquanto ela enfrenta os seres cósmicos Adam usa seus poderes na Jóia Espiritual para que haja desarmonia entre as jóias, e a manopla foge ao controle da Nebulosa, vindo a parar nas mãos de Warlock. Thanos sabiamente foge, mas em breve é encontrado por Warlock em um planeta distante (que voltaria a aparecer em Abismo Infinito), que o busca para aconselhar-se sobre o quê fazer com o poder supremo e suas conseqüências. Apesar de ter publicado The Infinity Gauntlet, a Abril Jovem já tinha uma cronologia que privilegiava os mutantes e o Aranha. Assim decide não publicar Warlock and The Infinity Watch, uma nova série regular onde nas edições #1 – 2, Warlock vai a julgamento pelos seres cósmicos e decide dividir as jóias entre os membros da Guarda do Infinito: Gamora, Pip, Drax, Serpente da Lua, o próprio Warlock e um sexto membro secreto. A Abril jamais publicou aventuras desta série no Brasil e as únicas aparições da Guarda do Infinito são nas séries subsequentes. :: A Guerra Infinita Entre julho-dezembro de 1992, há The Infinity War #1-6 (A Guerra Infinita #1-3, jan-fev/1996, Editora Abril) onde a saga continua com o trio Jim Starlin, Ron Lim e Al Milgrom. Começam a aparecer no universo versões malignas dos personagens Marvel. A mais famosa seria a Contra-Parte Aranha que auxiliaria o Duende Macabro/Duende Demoniaco contra o herói. Outro que ficaria famoso seria o Demônio Ge-Rouge ou Entidade Infernal, a Contra-Parte do Demolidor que inclusive foi usada pelo herói para forjar sua morte no término da saga Caindo em Desgraça. Na primeira edição Thanos percebe que há uma anomalia que ameaça o universo. Galactus e Nova encontram Eternidade em estado catatônico e contrapartes atacam Homem-Aranha, Gavião Arqueiro, Sr. Fantástico, Homem de Ferro e Wolverine. Thanos encontra o responsável pelos eventos, Magus, que armazena um enorme poder em um receptáculo em sua fortaleza. Os dois logo percebem que são antagônicos e Thanos é expelido da presença de Magus. Sim este é o mesmo Magus da década de 1970, porém com um visual mais aperfeiçoado. Reed Richards convoca uma reunião com os Vingadores, X-Men, Novos Guerreiros, Vingadores da Costa Oeste, X-Factor e Tropa Alfa no Four Freedoms. Alianças estranhas e extremas ocorrem: Dr. Destino e Kang, o Conquistador; Galactus e Dr. Estranho; Thanos e Warlock e sua Guarda do Infinito. Na segunda edição Thanos revela que Magus está vivo e em posse de energias fantásticas. Ele e a Guarda vão ao Palácio da Morte para vislumbrarem o Poço do Infinito para atualizar-nos sobre a história de Magus. Descobrimos que no período em que foi o ser supremo Warlock almejou a perfeição e decidiu que nem o bem ou o mal poderiam nublar suas decisões, assim os extirpou como se faz com um câncer. As trevas formaram o novo Magus, que então difere do original. O original era Warlock enlouquecido, este é “apenas” o lado maligno de Adam. Para estabelecer seu poder Magus roubou energias de cinco realidades alternativas. Há um mistério sobre qual seria a fonte dos poderes de Magus, mas é bom lembrar que nada impede que ele tivesse roubado uma Manopla de outra realidade e atacasse seus algozes, apenas a óbvia repetição dos eventos é que salva deste argumento repetitivo. Wolverine chega na reunião de Reed Richards e revela que Reed é um impostor e Demolidor confirma. Começa uma luta entre heróis. A contraparte de Reed aciona uma bomba gama que explode a cobertura do prédio. Na edição #3 os heróis conseguem salvar-se da explosão, mas passam a acreditar que Thanos está envolvido com Warlock, ao verem Magus e a contraparte de Thanos juntos. Logo após o envio de alguns heróis para buscarem respostas a base é atacada por dezenas de contrapartes. Na edição #4 os heróis na Terra lutam contra as contrapartes e a missão avançada contra a Guarda do Infinito e Thanos, até serem resgatados por Galactus, Surfista, Nova e Dr. Estranho. Kang e Dr. Destino descobrem que a fonte de poder de Magus são cinco Cubo Cósmicos. Galactus usa uma sondagem mental e todas as informações são coletadas e participadas aos heróis. Warlock percebe que terá que reabsorver seu lado negro. Decide, então, reunir as jóias da Manopla do Infinito e as toma da Guarda do Infinito. Mas para sua surpresa a Manopla não funciona graças à uma interferência do Tribunal Vivo, que não permitia que as jóias funcionassem em uníssono. Galactus, que tem ressentimentos de Warlock, decide levar Gamora a uma audiência com o Tribunal e após ele sair, Adam é seqüestrado por Magus, que leva também a Manopla. Thanos descobre o intento do vilão e se apossa do Nulificador Total para usá-lo num sacrifício supremo a ser feito por Quasar. Na edição #5, Thanos ordena que Quasar use o Nulificador para destruir a base de Magus. Apesar dos planos de Kang e Destino de tomarem a fonte de poder, quando a Eternidade permite que as jóias funcionem em uníssono a Manopla ainda está nas mãos de Magus que, de imediato, anula a ameaça do Nulificador. Os heróis partem para um ataque suicida contra Magus. Finalmente na conclusão, Thanos derrota sua contraparte e parte para um ataque direto à Magus que aprisionou os heróis. Warlock, então, liberto durante a batalha começa uma luta pessoal com sua sombra maligna e graças à intervenção de Eternidade/Infinito, Magus é derrotado. Warlock porém fica em coma. Thanos revela que a Jóia da Realidade – que esteve com um sexto ser, ainda secreto, quando Adam repartiu as jóias da Manopla – foi substituída por uma falsa, um plano de Warlock para que Magus jamais usasse a Manopla. Em agradecimento Eternidade volta a restringir o uso das jóias em uníssono. Thanos, no entanto, já desconfiava que após Warlock enfrentar seu mal, teria agora que lidar com o bem absoluto – que havia roubado a unidade de contenção com os cinco cubos cósmicos de Magus. :: A Deusa e a Cruzada Infinita A trama de Cruzada Infinita (The Infinity Cruzade# 1-6, 1993, Cruzada Infinita #1-3, novembro-dezembro/1996) também traduzida pela Editora Abril em formatinho e como minissérie em três partes, conta a história da Deusa (Goddess) a essência boa de Adam Warlock e como ela usa os Cubos Cósmicos desta e de outras dimensões para controlar mentalmente alguns heróis da editora, todos com ligação com o místico, o oculto, com a fé religiosa ou a fé nos ideais. O roteiro continua com Jim Starlin e a arte com Ron Lim e Al Milgrom. Os crossovers cresceram muito em números e atravessam vários títulos: Alpha Flight #122-127, 1º volume; West Coast Avengers #96-97; Cage #17; Darkhawk #30-31; Deathlok #28-29; Dr. Strange #54-56, 2º volume; Iron Man #294-295, 1º volume; Moon Knight #57, 3º volume; Silver Sable #16-17; Silver Surfer #83-85, 3º volume; Terror Inc. #13; Thor #463-467, 1º vol; Warlock Chronicles #01-05; Warlock and The Infinity Watch #18-22; Web of Spider-Man #104-106. Na edição #1 Deusa surge e bane Warlock do universo, contatando seres de grande fé: Relâmpago Vivo, Sasquatch, Cavaleiro Negro, Namorita, Hércules, Tempestade, Sersi, Jean Grey, Arcanjo, Mulher-Invisível, Demolidor, Homem-Aranha, Mercúrio, Dr. Estranho, Magnum, Capitão América, Pigmeu, Shaman, Talismã, Windshear, Thor, Sonâmbulo, Cristalys, Senhor do Fogo, Serpente da Lua, Agente Americano, Lupina, Homem-Múltiplo, Feiticeira Escarlate, Gamora e Cavaleiro da Lua. Todos são transportados para um paraíso utópico criado pela Deusa, chamado Paraíso Ômega. Na edição #2 a Guarda do Infinito usa Reed Richards para ter aceso aos heróis que irão resgatar os convocados. No Paraíso Ômega, Deusa une 30 Cubos Cósmicos e faz o Ovo Cósmico, que supostamente irá influenciar os seres humanos e eliminar o mal do universo. O ovo não é tão poderoso quanto a Manopla do Infinito mas unido à uma alma grupal dos heróis torna-se igualmente poderoso. Uma mudança de personalidade em Aurora, da Tropa Alfa, que tem problemas de dupla personalidade, permite que os heróis Sr. Fantástico, Visão e Homem de Ferro descubram a localização do Paraíso. Energizada, Deusa inicia seu plano. Na terceira edição, Sr. Fantástico, Visão e Homem de Ferro descobrem os efeitos do poder da Deusa. Adam retorna ao nosso universo e alia-se a Thanos e Mefisto, que aceita colaborar em troca de um Cubo Cósmico. Após um ataque de Serpente da Lua a Charles Xavier, Pip consegue a localização do Paraíso Ômega e se apossa do Ovo Cósmico, transformando a Deusa em uma estátua de sal, mas a situação logo se reverte. Warlock sem saber disso, entrega sua jóia espiritual a Thanos e volta ao mundo da jóia. Neste meio tempo, Thanos começa a colaborar com os heróis. Juntos, armam um plano para destruir o Paraíso Ômega. Na quinta edição ocorre a inevitável batalha entre heróis de ambos os lados, enquanto Thanos usa o poder de seu Encouraçado 666 para tentar deter a Deusa. Na conclusão as chamas da purificação purificam o universo e depois de espalhar-se pelo universo Marvel e atingir até a realidade dos leitores, tudo volta ao normal já que Warlock usou seu poder para criar um armaggedon ilusório. A partir de então a situação resume-se a um óbvio duelo entre Xavier, Thanos e Warlock contra Deusa, até esta ser derrotada. O ovo é destruído junto com o planeta. A propósito: Mefisto recebe de Thanos um cubo que não funciona. Após a conclusão de Cruzada Infinita, as séries mensais de Warlock (Warlock Chronicles e Warlock and the Infinity Watch) tiveram curta duração a tempo de verem as jóias manifestarem-se como um ser e fundirem o Universo Marvel com o Universo Malibu, uma pequena editora de quadrinhos que a Marvel comprou na década de 1990. Anterior a esta fusão tivemos vários crossovers entre Marvel e Malibu, alguns publicados no Brasil: X-Men versus Exilados; A Ressurreição de Fênix, Venom versus Rúnico, Homem-Aranha & Ultraforce pela Mythos Editora, e Conan versus Rúnico pela Editora Abril, já que Rúnico é um deus-vampiro criado por Barry Windsor Smith, que ficou famoso ilustrando a série Conan, the Barbarian. Claro que como outras fusões de universo esta também foi desfeita. Thanos havia evoluído como personagem. De amante da morte e pretenso senhor do universo tornou-se um verdadeiro enigma e um personagem de quadrinhos que não pode ser resumido na cova comum da bidimensionalidade do preto e branco das HQs de heróis. Thanos voltaria em Ka-Zar #1 – 12, 2º volume de Mark Waid e Andy Kubert, publicado em Marvel 99 #1-12, Editora Abril , em Thor, 2º volume e The Avengers – The Celestial Quest, mas estes autores trataram o personagem de maneira destrutiva novamente. Jim Starlin achou que estes dias haviam ficado para trás e então decidiu que estes “Thanos” apresentados eram clones imperfeitos do original, como foi apresentado em Abismo Infinito. Excelente explicação para justificar as alterações em um personagem quando tratado por dois autores. Em Abismo Infinito, Starlin volta a Thanos, que também volta a ser o personagem principal da trama por ambos os lados. Abismo também serve para reapresentar Warlock, Gamora e Pip para toda uma nova geração de leitores. Clones imperfeitos de Thanos, criados com características de personagens do Universo Marvel e com tendências que refletem fases da vida do titã, como a fase niilista, desejam destruir a criatura que cuida da manutenção do Universo e que está em fase de ser substituída, estando próximo da morte. Warlock renasce novamente após um período em uma clínica para loucos e é iludido para levar os clones até a criatura que mantém a realidade, para então descobrir que já havia feito contato dois anos antes e esta tinha sido a razão de seu estado catatônico. Com participação de vários heróis do universo Marvel e com destaque para o Capitão Marvel e especialmente para o Homem-Aranha, que sempre aparece em títulos com pouca possibilidade de venda, a saga abriu espaço para uma série regular de Thanos. Após Abismo Infinito há outras duas séries com a participação de Thanos: O Fim do Universo (publicada no Brasil pela Panini, nas edições #12 e 13 de Marvel Apresenta) e Thanos, uma série mensal que Jim Starlin colaborou até a sexta edição. O Fim do Universo é parte de um longo projeto da Marvel para desenvolvimento das “últimas aventuras” de um personagem. Incrível Hulk – O Último Titã, lançado pela Panini Comics em Marvel Apresenta #06 é parte deste projeto. O Fim do Universo trata do fim definitivo do Universo Marvel e diversas vezes foi interpretado como uma impulsão para adotar-se definitivamente a cronologia do Universo Ultimate Marvel.
  facebook


The Infinity War #1: Guerra Infinita
The Infinity Crusade #4: Cruzada Infinita
 
Tags :



 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil