MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
08/07/2005
MATÉRIA: DOUTOR DESTINO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Doom tira a máscara em Secret Wars
 
 
Destino por John Byrne
 
 
Quarteto Fantástico versus Destino e Tyros
 



No clássico O Homem da Máscara de Ferro havia o irmão bom que foi aprisionado na máscara e o irmão mau que era o tirano, mandante de tal atrocidade. No Universo Marvel, esses irmãos não existem, mas existe um grande tirano usando uma máscara de ferro: Victor Von Doom, o Dr. Destino.

Criado pela dupla Stan Lee e Jack Kirby, Victor Von Doom é, sem dúvidas, um dos maiores vilões dos quadrinhos. E, ao contrário da grande maioria dos malfeitores, tem esse cargo desde seus primórdios. Ele surgiu na revista Fantastic Four (1ª série) #05, em  julho de 1962 (no Brasil, a mais recente publicação desta história ocorreu em A Teia do Aranha #66, de abril de 1995, pela Editora Abril). Logo de cara, o personagem deu grande trabalho ao Quarteto Fantástico, seus arquinimigos. Em poucos anos, se tornou um dos primeiros vilões a infernizar a vida também de outros heróis, como Homem-Aranha e Vingadores.

Cientista, alquimista, místico, estrategista, líder e manipulador, as origens do Dr. Destino começam ainda com sua mãe. Cynthia Von Doom era uma cigana bruxa, seu marido era Werner, um curandeiro. Certo dia, o próprio Mefisto apareceu diante de Cynthia, lhe oferecendo poder para derrubar o então tirânico barão da Latvéria e garantir o futuro de seu povo e filho. Em troca, é claro, ele queria a alma da mulher. Com o trato feito, Cynthia começou sua cruzada. Mas não se pode confiar no demônio. Em pouco tempo ela encontrou um fim trágico, mais trágico ainda foi seu além vida, como uma alma em poder de Mefisto.

Assim, Victor Von Doom cresceu criado por seu pai Werner, mas não teve uma infância comum, sendo muito inteligente, concentrado e sobretudo soturno. Quando não conseguiu salvar a vida da baronesa, que estava com câncer, Werner foi acusado pelo barão de causar sua morte e é perseguido. Em sua fuga, os Von Doom receberam a ajuda de outros ciganos, especialmente de Bóris, que se tornaria a única pessoa de confiança do futuro Dr. Destino. Werner acabou falecendo em decorrência do esforço de sua fuga. Victor, por sua vez, foi tomado por grande fúria, prometendo se vingar do barão e de toda a humanidade. Com o passar do tempo, ele encontrou os apetrechos de bruxaria de sua mãe e começou a aprender os segredos do misticismo.

Mas sua sede de poder pedia por mais. Ele logo começou a trilhar também o caminho da ciência. Obcecado, ele procurava aprender sobre todos os campos da ciência. Isso chamou a atenção de um professor americano que o levou para estudar nos Estados Unidos. Durante seus estudos conheceu seu futuro maior inimigo, Reed Richards, anos mais tarde conhecido como Sr. Fantástico.

Neste período, Doom tentou alcançar a alma de sua mãe através da ciência, trabalhando num aparelho que criasse dobras transdimensionais. Ele foi avisado por Richards de que havia um erro em seus cálculos, mas em sua arrogância, deu procedimento ao experimento assim mesmo, não admitindo que pudesse errar. O resultado foi uma explosão, que fisicamente só deixou uma grande cicatriz no rosto do jovem, mas causou sua expulsão da escola. Vale notar que na primeira vez que sua origem foi contada, tal explosão foi responsável por deformar totalmente seu rosto.

Em seguida, partiu em peregrinação, até encontrar um templo isolado do mundo. Lá aprendeu muito mais, e vestiu sua armadura pela primeira vez. Quando ia colocar sua máscara recém forjada, não quis esperar que ela esfriasse, e selou seu futuro deformando permanentemente seu rosto, completando sua transformação em Dr. Destino. Tempos depois o vilão reencontrou seu fiel Bóris e conseguiu tomar o controle da Latvéria.

Sua busca por poder nunca acabava. Ao mesmo tempo que tentava libertar a alma de sua mãe das garras de Mefisto, buscava novas formas de obter poder. Isso, mais o desejo de se provar superior a seu rival Richards, o levou ao seu primeiro confronto com o Quarteto Fantástico, quando mandou o grupo ao passado, com sua Plataforma Temporal, para roubar o tesouro do pirata Barba Negra. A primeira vista, um objetivo estranho, senão fosse um dos itens nesse tesouro, as jóias do mago Merlin. Contudo, Destino sofreu nesta ocasião sua primeira derrota nas mãos do grupo.

Com os anos, ele enfrentou o Quarteto Fantástico inúmeras vezes e suas maquinações em busca de poder envolveram muitos outros personagens tais como os já citados Homem-Aranha e Vingadores, além dos X-Men, Luke Cage, Justiceiro, Terrax, Beyonder, Dr. Estranho, Surfista Prateado, Galactus, Inumanos, Pantera Negra, Namor, Homem de Ferro, entre muitos outros. Até mesmo personagens da DC Comics se envolveram nos planos do vilão, como Superman, Mulher-Maravilha e Parasita, no crossover Superman x Homem-Aranha II.

Destino nunca foi de fato detido, sempre conseguindo escapar para tentar atingir seus objetivos mais tarde. Em mais de uma ocasião apelou para sua imunidade diplomática como senhor da Latvéria. Um truque usado por diversas vezes, e apresentado desde sua primeira aparição (embora tenha sido mais usado em histórias criadas pelo mestre John Byrne) é sua substituição por cópias robóticas. Uma delas, certa vez, chegou a tentar usurpar o trono da Latvéria na ausência de seu criador, mas foi detida pelo Homem-Aranha e um grupo de rebeldes do próprio país.

Em sua incessável busca por poder, Destino se tornou o maior “ladrão de habilidades” dos quadrinhos, tendo usurpado, ou ao menos tentado usurpar, as capacidades de diversos personagens, dentre os quais podemos destacar o Surfista Prateado, Beyonder, o Devorador e até mesmo o Homem-Aranha, quando este deteve os poderes cósmicos da Força Enigma. Na saga Guerras Secretas, quando usurpou os poderes da entidade Beyonder, Destino teve um de seus maiores momentos conseguindo derrotar um verdadeiro exército de super-heróis.

Depois de muitos anos, Destino, manipulando o místico Dr. Estranho, conseguiu libertar a alma de sua mãe após um ferrenho combate com o próprio Mefisto. Essa magnífica história foi contada na Graphic Novel #05 (Editora Abril, janeiro de 1991) intitulada Triunfo e Tormento, escrita por Roger Stern, com a arte competente de Mike Mignola, e arte-final e cores de Mark Badger.

Em certo período, Destino fez lavagem cerebral no jovem Kristoff, que seria usado como um substituto, tendo as memórias de Doom implantadas em sua mente. O plano funcionou parcialmente, já que o garoto realmente adotou a persona de Doom, chegando a enfrentar o Quarteto Fantástico em mais de uma ocasião. Só que, com o tempo, Kristoff se tornou um adversário de Doom, chegando a usurpar seu trono. Com o passar dos anos, Kristoff passou por mudanças, com sua psique original emergindo. Em dado período, chegou a se unir ao Quarteto Fantástico para juntos procurarem os então desaparecidos Reed Richards e Doom. O jovem teve ainda destaque no selo MC2 (Marvel Comics 2), um futuro alternativo onde ainda reinava na Latvéria.

Na infeliz saga chamada Massacre, o Dr. Destino lutou ao lado dos heróis para derrotar a entidade chamada Massacre. Na batalha final, acabou dado como morto, junto da maioria dos heróis, entre eles o Quarteto Fantástico. Na verdade, todos foram transportados para outra realidade pelo jovem Franklin Richards, filho de Reed e Sue do Quarteto Fantástico. Nesta fase, chamada Heróis Renascem, tais personagens renascidos viviam novas vidas, em muito parecidas com as antigas, mas sem terem consciência de que já haviam vivido as mesmas experiências em outro mundo anteriormente.

Posteriormente, os heróis voltaram ao seu mundo de origem, porém Destino não. Os heróis o davam por desaparecido ou morto, mas na verdade Destino havia conquistado seu próprio mundo, o Doomworld. Claro, isso não durou muito, e algum tempo depois o Dr. Destino estava de volta ao mundo natal.

Nos últimos anos, infelizmente, o vilão perdeu muito de sua magnificência. Mark Waid, por um lado, fez bem ao trazer à tona o lado místico do personagem, porém não conseguiu passar corretamente a onipotência do vilão. Também recentemente, Doom ajudou a Mulher Invisível a dar à luz a sua segunda criança. Em troca, Destino pediu apenas que a menina fosse batizada de Valéria, o nome de seu amor de infância, a neta do fiel Bóris. Claro que o vilão não deixou passar em branco a chance de usar a inocente menina em seus planos.

Como quase todos os personagens nos quadrinhos de super-heróis, Doom também teve várias versões alternativas. Duas de pouca importância, mas dignas de serem lembradas são, em primeiro lugar, o herói Doutor Destino apresentado na série O Que Aconteceria Se..., que não era deformado e usava uma armadura verde e amarela. Outra é o Dr. Destino de 2093, cheio de partes cibernéticas e que chegou a confrontar o Destino e o Homem de Ferro de nossa época, ocasião em que a versão do presente jurou nunca se transformar na versão robótica futura.

Mais famosa e muito mais bem sucedida foi a versão do Universo 2099. Na revista chamada simplesmente Destino 2099 (Doom 2099), acompanhamos os passos de um ainda jovem Von Doom no ano 2099. Inicialmente, não há certeza de que ele é mesmo Victor Von Doom, nem de nossa parte, nem da dele. Com o tempo, aliado aos ciganos da tribo de Bóris, Doom recobra sua memória, reconquista seu trono e derrota um impostor. Mais tarde, ele ainda consegue conquistar os Estados Unidos. Por incrível que pareça, ele governa com o apoio de outros heróis deste universo, entre eles os X-Men, Homem-Aranha e Justiceiro. É deposto pouco tempo depois pelo vilão John Herodes. Esta versão de Destino explorava bastante o lado humano do personagem, sem nunca deixar de lado sua sede de poder e arrogância, o que o tornou o mais interessante personagem de 2099, ao lado do Homem-Aranha.

Mais recentemente, o Dr. Destino ganhou sua versão Ultimate. Tal como no filme que acabou de chegar aos cinemas, Destino faz parte do experimento que deu origem ao Quarteto Fantástico, tendo também ganhado poderes. No caso da versão Ultimate, ganhou poderes e uma aparência aterradora. Mas não são só essas as mudanças. Nesta versão, ele se chama Victor Van Damme, uma mudança que parece mais uma piada de mau gosto, e sua família descende do lendário Conde Drácula.

Mesmo tantos anos depois de sua criação, o Dr. Destino ainda é um grande personagem, que continua tendo destaque, seja nas páginas do Quarteto Fantástico versão normal ou Ultimate, no filme e em suas possíveis continuações e em breve nas páginas da saga House of M.


Leonardo Buddy Baker

  facebook


Doutor Destino na saga Heróis Renascem
Destino na versão Ultimate
 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil