MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
01/10/2007
MATÉRIA: O HOMEM-ARANHA E A ERA DO UNIFORME NEGRO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



Tudo começou durante um mega-evento. Aliás, O mega-evento: as Guerras Secretas originais, a grande reunião de super-heróis da Marvel. Levadas a um mundo distante por uma criatura desejosa de entender a natureza do bem e do mal, as criações de Stan Lee participaram de incontáveis batalhas.

Após uma delas, o Homem-Aranha teve seu uniforme destruído. Necessitando de um novo traje, o aracnídeo foi avisado pelo Incrível Hulk da existência de uma máquina capaz de produzir qualquer traje a partir da materialização de pensamentos. Quando utilizou a máquina, porém, o Aranha recebeu não uma nova versão de sua indumentária vermelha e azul... Mas sim um misterioso traje negro, inspirado, talvez inconscientemente, na versão do uniforme da nova Mulher-Aranha, que também estava participando das Guerras Secretas.

Todos se surpreenderam com a novidade: aliados, oponentes e fãs, que nunca haviam visto um herói de primeiro time como o Homem-Aranha trocar de uniforme de forma tão drástica. No decorrer da série e depois de voltar para a Terra com o Aranha, a roupa nova do aracnídeo revelou-se mais do que um mero pedaço de tecido: capaz de se autocosturar, alterar sua aparência e produzir seu próprio fluído de teia, a nova vestimenta fez Peter Parker esquecer a roupa clássica em algum lugar no fundo do guarda-roupa - mesmo com os conselhos do Sr. Fantástico, que desejava estudar o tecido alienígena.

Voltando à vida normal de contas a pagar e problemas pessoais, Peter adiou várias vezes a visita ao edifício Baxter, sede do Quarteto Fantástico. Neste período, enfrentou várias e mortais ameaças: o enigmático Resposta; o chefão do crime Cabelo de Prata, revivido num corpo cibernético; o mortal Puma, bilionário que se transforma numa criatura metade humana e metade felina; e as maquinações do Rosa, filho do Rei do Crime, para destronar o pai. Logo após sua primeira luta com o Puma - que invadiu seu apartamento - Peter ouviu sua futura esposa Mary Jane Watson lhe dizer que sempre soube que ele era o Homem-Aranha.

Quando finalmente, movido por um curioso excesso de sono e pelo comportamento estranho do novo traje, Peter decidiu ir até Reed Richards, recebeu más notícias: o traje não era um "pedaço de pano do outro lado da galáxia", mas sim um simbionte - criatura que precisa de um hospedeiro para viver, proporcionando a este hospedeiro habilidades invejáveis, mas exigindo doses mortais de adrenalina em troca. Uma vez que uma permanência mais longa com o simbionte poderia levá-lo à morte, o Sr. Fantástico e o Tocha Humana ajudaram Peter a romper sua ligação com o alienígena, usando para isso uma combinação de fogo e emissões sônicas. Sem uniforme, Peter acabou tendo que sair do QG do Quarteto vestido num velho uniforme da equipe, e com um saco de papel na cabeça como máscara!

Tendo se livrado do simbionte, Peter retornou ao velho e bom azul e vermelho - e o simbionte (que conseguiu escapar) logo se aproveitou disso para atacá-lo, disfarçando-se como o uniforme clássico. Percebendo o estratagema da criatura, o herói partiu novamente rumo ao QG do Quarteto Fantástico, mas o simbionte atrapalhou sua coordenação e movimentos na tentativa de impedi-lo. Durante o confronto com o alienígena, o aracnídeo foi atacado pelos Abutres, ex-presidiários que copiaram o projeto de asas do velho inimigo do Aranha.

Pegando uma "carona" com um dos vilões voadores, o Homem-Aranha chegou ao relógio da torre de uma igreja, onde permaneceu ao lado dos sinos na esperança de destruir o simbionte. Os sinos de fato atordoaram a criatura, mas o barulho contínuo fez Peter desmaiar, sendo salvo da morte apenas pelo próprio simbionte - que nunca pretendeu matar seu hospedeiro. Colocando o aracnídeo a salvo, o alienígena partiu.

O Homem-Aranha voltou para sua rotina, e logo decidiu usar um curioso presente recebido dias antes das mãos de sua namorada nesta época, a Gata Negra: um novo uniforme negro, este feito de inofensivo tecido terrestre. O herói passou alguns meses alternando este traje com o antigo, período no qual enfrentou ameaças como o Devorador de Pecados e tomou parte nas Guerras Secretas II, além de se casar com Mary Jane Watson.

A saga do uniforme negro termina ao mesmo tempo em que descobrimos o que houve ao simbionte. A criatura encontrou no repórter Eddie Brock um novo hospedeiro - um que odeia o Aranha tanto quanto o alienígena. Juntos, deram origem a Venom, um dos maiores inimigos do Homem-Aranha. Brock teve sua carreira destruída após a revelação da verdadeira identidade do vilão chamado Devorador de Pecados, mas culpava o Aranha por isso.

Em sua primeira aparição (na edição 300 da revista americana Amazing Spider-Man), Venom já mostrava que mereceria um lugar na galeria de grandes vilões da Marvel. Chegando ao novo oponente depois deste atacar Mary Jane, o aracnídeo suou muito para vencer a fusão de Brock com o alienígena. Ao fim da luta, diante dos pedidos da esposa traumatizada, Peter queimou o traje preto de pano, voltando a utilizar apenas o vermelho e azul.

Entretanto, ele voltaria a utilizá-lo em outras oportunidades: numa missão nos esgotos em busca de um grupo de mendigos desaparecidos (a última história do Aranha produzida por Todd McFarlane, o criador de Spawn), durante a polêmica Saga do Clone, e mais recentemente, na edição especial Homem-Aranha - Postestade. Mas ainda veremos o uniforme novamente nas HQs.

Venom ainda daria muito cansaço no herói aracnídeo, inclusive originando outras ameaças. Mas essa já é outra história...

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil