MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
28/04/2008
MATÉRIA: SENNINHA - O GAROTO MAIS RÁPIDO DAS HQS
 
 
Senninha #0: a emocionante estréia
 
 
A versão atual do Senninha e sua Turma
 
 
Senninha #1: a primeira aparição de Becão e Bicão
 
 
Senninha #6: homenagem ao Grande Herói
 
 
Senninha #103: última edição pela Brainstore
 
 
Senninha #1: a nova revista pela HQM Editora
 
 
 
 



Ayrton Senna era idolatrado por uma geração que cresceu acostumada a acordar cedo aos domingos para vê-lo correr pelas pistas do mundo.

Entre estes admiradores estavam os cartunistas Rogério Martins e Ridaut Dias Jr.. Após o segundo título mundial de Ayrton Senna, em 1990, os dois amigos começaram a trabalhar numa história em quadrinhos inspirada no piloto. Após um longo período de desenvolvimento, a dupla chegou ao desenho ideal e, no final de 1993, entraram em contato com o próprio Senna.

Ayrton aprovou a idéia na hora, e o projeto foi logo abraçado pela Editora Abril, à época detentora do maior departamento de quadrinhos do Brasil. Em janeiro de 1994 as principais revistas da editora traziam encartada a edição nº 0 de Senninha e sua Turma. A primeira edição "oficial" chegou às bancas no mês seguinte, trazendo uma entrevista com o próprio Ayrton Senna.

A turma do título incluía:

Johnny – Batizado em homenagem a Johnny Herbert, piloto da Lotus na época, é o projetista dos carros de Senninha. Vaidoso, está sempre usando óculos escuros e usa um topete de fazer inveja a seu xará Johnny Bravo;

Neco (originalmente Nico, rebatizado após as primeiras edições) – mecânico encarregado de construir os carros que Johnny projeta. Seu lado "cientista maluco" ganhou destaque ao longo da série;

Coni – irmã gêmea de Neco, protagonizava histórias que falavam de economia;

JJ – batizado em homenagem a JJ Lehto, piloto da Minardi na época. Muito inteligente e fanático por esportes, foi estrear apenas na terceira edição;

Gabi – a artista da turma, sempre envolta com pinturas, esculturas e assemelhados;

Déia – a detetive da turma;

Tala Larga – o repórter da turma, autointitulado maior fã de Senninha;

Marcha Lenta – espécie de contraponto à velocidade de Senninha, está sempre com sono e procurando algum lugar para tirar uma soneca. Faz as vezes de cameraman nas reportagens do Tala Larga. Alguns leitores maldosamente afirmam ter sido inspirado em Rubens Barrichello, mas vamos nos abster da polêmica...

Senninha também tinha uma irmã mais velha, Gigi, que adorava falar ao telefone; um irmão mais novo, Téo; e dois cachorros gêmeos: Becão, que pensava e agia como humano, e Bicão, tão canino quanto possível, ambos habitados por pulgas que os chamavam e tratavam como carros.

E como é impossível fazer uma boa HQ sem bons antagonistas, Rogério e Ridaut trataram de criar Braço-Duro, um piloto trapaceiro amparado por uma nada confiável equipe:

Rebimboca – mecânico encarregado de construir os carros repletos de armadilhas e trapaças, uma espécie de "segundo em comando" da equipe;

Bate-Pino – projetista e "capanga" de Braço-Duro, mandado para missões esdrúxulas sempre em parceria com Pé-de-Breque;

Pé-de-Breque – o faz-tudo da gangue, não se destacava exatamente por sua inteligência. Conhecido pelo bordão "só!";

Os vilões também tinham sua mascote, o gato Tamborim.

Após apenas seis edições lançadas (incluindo a edição #0), a revista sofreu um baque. Ayrton Senna sofreu um grave acidente no GP de San Marino, morrendo após algumas horas. A possibilidade de cancelamento do título era uma interrogação na cabeça dos fãs, mas felizmente a série continuou. A primeira edição lançada após a tragédia de Ímola, a revista Senninha e sua Turma #6, trazia uma história homenageando Senna, em que Senninha disputava uma corrida usando uma tarja de luto ao piloto.

Ao chegar à décima edição, a revista sofreu uma reformulação, tornando-se mensal e ganhando mais páginas. Além disso, o capacete de Senninha – apelidado por ele de Meu Herói – ganhou vida e poderes mágicos, fazendo o macacão do protagonista mudar do azul da Williams para o vermelho da McLaren, equipe em que Ayrton Senna conquistara seus três campeonatos mundiais de Fórmula 1. A edição seguinte, aliás, aproveitou-se do vermelho para homenagear a Ferrari, equipe pela qual Senna nunca chegou a correr apesar dos freqüentes boatos e negociações.

Uma conseqüência do aumento do número de páginas da revista foi a maior experimentação nas histórias. A temática tornou-se mais variada, passando a investir mais nas personalidades dos coadjuvantes. Foram lançadas algumas aventuras com vários finais, no estilo "Você Decide", e o Jornal do Senninha (caderno central de cada edição) ganhou maior variedade, falando de grandes pilotos da história da Fórmula 1 e outros temas não tão pertinentes à velocidade.

O novo formato do título durou exatos dois anos, quando a Abril decidiu voltar ao formato de edições quinzenais de 36 páginas. A revista seguiria neste formato até a edição 98, quando a editora, que já vinha diminuindo consideravelmente seus investimentos em quadrinhos, cancelou o título. Coube à editora Brainstore continuar a série, mantendo inclusive a numeração original, mas a nova coleção durou somente cinco edições.

Mesmo com o fim de suas revistas, Senninha continua fazendo sucesso em diferentes produtos licenciados, que vão de cadernos a temperos. Adicionalmente, uma versão bebê do personagem foi criada, o Senninha Baby, mirando produtos como fraldas e lenços de papel. A revista em quadrinhos do Senninha, porém, parecia assunto encerrado... até agora.

No mês passado, a HQM Editora apresentou a edição especial Senninha e sua Turma – Ayrton Senna: Um Herói Brasileiro, lançada na 14ª Fest Comix, o maior evento de quadrinhos do Brasil. O lançamento teve a participação do personagem, a apresentação do simulador Senninha GP – um jogo totalmente produzido no Brasil – , a presença do pessoal do Instituto Ayrton Senna e do pessoal da HQM Editora.

A partir deste mês, o personagem mais rápido das histórias em quadrinhos, chega com uma nova revista mensal, com novas histórias, novo traço e muitas outras novidades para fãs de todas as idades do Senninha. Confira um preview da edição especial clicando aqui e da nova revista mensal clicando aqui.

Na edição #1, grátis um superpôster especial para comemorar o retorno do garoto mais rápido e mais carismático das HQs. Não perca essa chance, pois este é só o começo de várias novidades que o Instituto Ayrton Senna e a HQM Editora estão preparando para você.

O valor obtido com o licenciamento da marca Senninha é 100% destinado aos projetos educacionais do Instituto Ayrton Senna. Caso não encontre as publicações do Senninha em sua cidade, entre em contato através do e-mail hqmaniacs@hqmaniacs.com.

E não deixe de visitar o site do Senninha, para curtir tirinhas inéditas, quadrinhos, passatempos e muito mais. O endereço é www.senninha.com.br


Tiago Andrade é colaborador do HQM e teve sua foto publicada no gibi do Senninha quando tinha dez anos. Ele e seu pai, fãs de Ayrton Senna, não cabiam em si de felicidade quando foi anunciado que a HQM Editora havia assumido o título.

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil