MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
19/08/2008
REVIEW - CINEMA: STAR WARS - THE CLONE WARS
 
 
Star Wars: The Clone Wars
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



Star Wars - The Clone Wars, já nos cinemas, na verdade não é um filme. Trata-se da compilação dos três primeiros episódios da nova série animada de mesmo nome, acabando por servir como piloto da mesma.

Ainda que seja um produto da televisão, não faz nada feio nos cinemas. Na trama, em meio às Guerras Clônicas, o filho de Jabba, o Hutt, é raptado. Para conquistar a simpatia e o apoio do mafioso nos esforços de guerra, tanto as forças da República quanto o Exército Separatista fazem de tudo para resgatar o garoto e punir os culpados, numa trama que aos poucos vai ficando mais intrincada, com algumas reviravoltas.

Não é novidade alguma que as animações de Star Wars surgidas nos últimos anos sejam bem superiores aos filmes da nova trilogia, principalmente no que diz respeito aos roteiros. Os motivos são vários, na maioria bem óbvios. Em primeiro lugar, o mundo da animação permite vôos mais altos nos combates, no uso da Força pelos Jedis e Siths, eliminando quase todas as restrições neste sentido. Outra vantagem é que a trama principal já é abordada nos filmes, deixando espaço para desenvolver subtramas e personagens que não receberam a devida atenção na trilogia. Por fim, o pouco envolvimento de George Lucas ajuda bastante. Mesmo sendo o criador de toda a franquia, Lucas tende a ser repetitivo; ainda que criativo, muitas vezes não é a melhor escolha na hora de botar em execução suas próprias idéias.

Se afastando da trama principal da queda de Anakin Skywalker e da ascensão do Imperador Palpatine, a animação ganha um tom mais militarista, até mesmo na música tema clássica, que é levemente alterada, lembrando um hino militar. Embora os heróis da trama ainda sejam os Jedis, o exército de clones ganha muito mais espaço. As grandes batalhas militares passam o escopo do conflito corretamente, com perdas dos dois lados. Ironicamente, a animação mostra mais mortes entre os soldados do que todos os filmes da nova trilogia juntos. Mesmo mantendo a tradicional introdução de Star Wars, o longa animado apresenta um “relato da situação” que remete aos jornais exibidos nos cinemas na época da 2ª Guerra Mundial.

A equipe de dubladores é extremamente competente. Samuel L. Jackson, Christopher Lee e Anthony Daniels retornam aos personagens que interpretaram nos filmes: Mace Windu, Conde Dookan e C-3PO, respectivamente. Os demais personagens recebem novas vozes, mas em alguns casos é difícil notar, especialmente nos casos de Obi-Wan Kenobi (voz de James Arnold Taylor) e Padmé Amidala (Catherine Taber), que conseguem emular com perfeição as vozes dos atores Ewan McGregor e Natalie Portman.

A movimentação e visual da animação são fiéis aos filmes ao mesmo tempo em que compõem uma identidade própria para a série. As cenas de ação são um espetáculo à parte e mais pés no chão do que a série animada anterior, minimizando os exageros em relação ao uso da Força. Nos visuais há somente um porém: o rosto do Conde Dookan ficou caricato demais, parecendo até que o personagem não tem forma humana.

Com tantos elementos positivos, The Clone Wars tem alguns negativos também, que incomodarão principalmente aos fãs da saga. O próprio período em que a trama ocorre é motivo de discórdia. Muitas vezes foi dito que as Guerras Clônicas duraram em torno de três anos. O início delas foi mostrado em Episódio II - O Ataque dos Clones. Muitos eventos foram narrados na temporada inicial de Star Wars - Guerras Clônicas. A segunda temporada apresentou uma história mais fechada, e desembocou nos eventos da abertura do Episódio III - A Vingança dos Sith. Isso sem contar as histórias contadas através de livros e quadrinhos. Ou seja, por mais que três anos sejam bastante tempo, não parece haver espaço para muitas histórias agora.

Uma brecha do início da segunda temporada de Guerras Clônicas representou esperança para vários fãs. Logo do início desta temporada, foram mostradas diversas ações de Anakin Skylwaker na guerra, de modo rápido, o que passou a impressão de dezenas de missões sendo cumpridas. Ao final destas missões, Anakin já apresentava uma cicatriz no rosto. Os fãs acreditaram que a nova série animada se passaria durante essas missões, antes de Anakin adquirir a cicatriz. Bem, estavam errados, pois em The Clone Wars Anakin já tem a cicatriz.

Outros pontos conflitantes são o filho de Jabba, inexistente nos filmes clássicos, e principalmente Ansoka Tano, a padawan (aprendiz) de Anakin. Embora seja uma personagem bem interessante, tanto no visual quanto na sua atitude desafiadora quanto a seu mestre, sua presença não faz muito sentido. Em primeiro lugar porque nunca foi citada uma padawan de Anakin antes, e em segundo lugar, o problema maior: Anakin nunca chegou a se tornar um Mestre Jedi para poder receber a responsabilidade de treinar uma padawan. Poderia até ser levantada a hipótese de que basta ser um Cavaleiro Jedi para ter um aprendiz, mas para derrubar essa possibilidade, basta lembrar que Obi-Wan precisou se tornar mestre para poder iniciar o treinamento oficial de Anakin.

Elenco: Matt Lanter, Ian Abercrombie, Samuel L. Jackson, Christopher Lee, Anthony Daniels, James Arnold Taylor, Catherine Taber. Roteiro: Henry Gilroy, Steven Melching, Scott Murphy. Direção: Dave Filoni.

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil