MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
11/02/2011
REVIEW - CINEMA: BRAVURA INDÔMITA
 
 
Bravura Indômita
 
 
 
 
 
 
 
 


Bravura Indômita (True Brit),
baseado no livro de Charles Portis, é um remake do filme de mesmo nome, lançado em 1969 e estrelado por John Wayne, tendo ganhado em 1975 uma continuação, Justiceiro Implacável (Rooster Cogburn), além de uma versão para a TV em 1978, com Warren Oates no papel principal.

O filme vem chamando atenção por um simples motivo: teve 10 indicações ao Oscar, mais do que merecidas, incluindo melhor filme, melhor direção, melhor roteiro adaptado, melhor ator (Jeff Bridges) e melhor atriz coadjuvante (Hailee Steinfeld). Portanto, como estamos falando do remake, vamos evitar comparações com o romance original ou o filme de 69, até porque este colunista nunca leu o romance e tem poucas memórias da adaptação clássica.

A trama do faroeste tem início com Mattie Ross (Steinfeld), uma garota de 14 anos que deseja vingar a morte de seu pai, assassinado pelo covarde Tom Chaney (Josh Brolin). Para isso, ela contrata o agente federal Rooster Cogburn (Bridges) para ir ao encalço do criminoso em território indígena, onde ele se refugiou. No caminho da dupla está ainda o texas ranger LaBoeuf (Matt Damon), que também caça Chaney, mas por outros crimes.

A história de Bravura Indômita é extremamente simples, e é aí que reside a beleza da produção. As nuances dos personagens na trama  e o carisma do elenco  constituem uma obra impressionante e envolvente.

Os irmãos Ethan Cohen e Joel Coen já comprovaram seu talento em inúmeras ocasiões, primeiro se tornando famosos com comédias e depois criando tramas bem mais sérias, mas igualmente bem conduzidas. Responsáveis pela direção e roteiro de Bravura Indômita, os Coen apresentam aqui um de seus melhores trabalhos.

Cogburn é um velho rabugento, meio maluco, mal educado e beberrão. O tipo de papel ao qual Bridges está mais do que habituado. Por isso mesmo se sai muito bem, arquitetando o tipo de personagem que adoramos ver na tela, mas que odiaríamos conhecer pessoalmente.

A pouco conhecida Steinfeld faz por merecer sua indicação ao Oscar, surpreendendo com seu desempenho, fazendo frente a grandes atores de duas gerações, não devendo nada a eles. Matt Damon também está bem, mas seu personagem é o menos atrativo entre o elenco principal, o que tira um pouco do brilho do ator. O mesmo pode ser dito de Brolin, que é bem divertido com seu caricato criminoso, mas aparece muito pouco.

Bravura Indômita consegue ser singelo, engraçado e cínico ao mesmo tempo, criando situações em que até o carinho é suprimido pelos modos duros dos protagonistas, e isso ajuda ainda mais a tornar a obra marcante, e até certo ponto mais realista. E, sendo um faroeste, não poderia faltar a ação que, mesmo não sendo o principal enfoque não decepciona, com poucas, mas empolgantes cenas, em alguns casos apresentando a violência coerente com o período histórico.

Num raro caso onde direção, roteiro, elenco, trilha sonora, figurino, fotografia e praticamente todos os elementos se completam para criar uma produção inesquecível, Bravura Indômita é um dos melhores filmes dos últimos anos.

Elenco:  Jeff Bridges, Matt Damon, Josh Brolin, Hailee Steinfeld, Barry Pepper. Roteiro:  Joel Cohen e Ethan Cohen, baseado no romance de Charles Portis. Direção: Joel Cohen e Ethan Cohen.   

Veja também:
- Bravura Indômita ganha HQ
- Conheça os indicados ao Oscar 2011

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil