MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
12/08/2011
REVIEW - CINEMA: DYLAN DOG E AS CRIATURAS DA NOITE
 
 
Dylan Dog e as Criaturas da Noite
 
 
 
 
 
 
 
 


Depois de muita espera, enfim chega aos cinemas brasileiros o filme Dylan Dog e as Criaturas da Noite (Dylan Dog: Dead of Night), adaptação da famosa HQ italiana. Infelizmente, para quem é fã dos quadrinhos, a espera não vale muito a pena. A produção falha miseravelmente como adaptação, mas se analisada de forma isolada, consegue ao menos ser um tanto divertida.

Claramente uma produção barata, o filme simplesmente passa por cima de quase tudo que tornou a HQ um clássico, criando uma mitologia totalmente diferente, com um Dylan menos sarcástico, humanizado demais. Em vez da tradicional Londres, a história se passa em Nova Orleans, onde Dylan era um detetive com autorização para efetuar investigações envolvendo o mundo sobrenatural. Após uma grande perda, ele desiste de sua posição, tornando-se apenas um detetive comum, até que o sobrenatural novamente bate à sua porta, forçando-o a sair da aposentadoria num caso que envolve vampiros, lobisomens, zumbis e muito mais.

Brandon Routh interpreta Dylan com a mesma canastrice de todos os seus papéis, o que, de maneira pra lá de inusitada, se encaixa bem com o personagem. Quando Dylan não é retratado de maneira deprimida demais, é possível ver aspectos da versão original se sobressaindo, o que deve agradar aos fãs.

Uma das maiores mudanças é a ausência de Groucho, o assistente de Dylan. Ao menos neste caso a culpa não é de roteiristas, diretor ou estúdio, mas sim de impedimentos legais que impedem o uso do personagem em terras americanas por ele ser baseado no comediante Groucho Marx. Não que isso evite algumas homenagens, mas o fato é que no lugar de Groucho entra Marcus (Sam Huntington).

Nem de perto tão anárquico quanto Groucho, Marcus mesmo assim se torna um personagem interessante, e o que mais se sobressai em todo o longa. Huntington consegue utilizar bem o humor, sendo o melhor ator em cena. A linda Anita Briem, por outro lado, é incrivelmente apagada no papel de Elizabeth, cliente que contrata Dylan para investigar a morte de seu pai. Peter Stormare, que costuma sempre criar personagens divertidos e até certo ponto marcantes, desta vez decepciona bastante como o lobisomem Gabriel. Taye Diggs, por outro lado, entra no clima e parece se divertir como o caricato vampiro Vargas.

O roteiro é bem simples e até previsível. Isso não seria um problema se o clima das HQs tivesse sido preservado. Nos quadrinhos, raramente tramas complexas são construídas, mas a diversão reside aí: as histórias costumam envolver inúmeras homenagens a filmes clássicos de terror e suspense. No filme, isso se perde, sendo substituído por uma tentativa de emular o clima noir das histórias de detetives. Isso funciona em parte, como na narrativa de Dylan, mas falha em muitos outros pontos.

Os efeitos e maquiagens são mais apropriados a um seriado de TV. No caso da maquiagem, isso até dá um toque especial, remetendo ao tipo de produção que é homenageada nos quadrinhos. Mas quando o assunto são os efeitos, a coisa muda de figura, afinal seria mais fácil evitá-los do que usá-los mal.

Embora bastante divertido, Dylan Dog e as Criaturas da Noite é o tipo de filme que não ficará na memória de muita gente. Afinal, falha ao saciar o desejo dos fãs do personagem, afastando-se demais da concepção original, e falha também com o grande público, que, sem se preocupar em analisar as entrelinhas, vai ter apenas a sensação de estar assistindo uma produção simpática que teve seu potencial desperdiçado.

Aos leitores de quadrinhos:  procurem por citações a Tiziano Sclavi (o criador de Dylan Dog) e Sergio Bonelli, e não se surpreendam se acharem o filme mais parecido com uma adaptação da HQ Crimes Macabros (obra de Steve Niles e Ben Templesmith) do que do próprio Dylan. Do mesmo modo, apenas como filme, a produção lembra talvez um pouco demais Constantine (ou uma versão muito mais barata deste), que ganhou uma adaptação cinematográfica em 2005, baseada no personagem publicado pelo selo Vertigo da DC Comics.

Elenco: Brandon Routh, Sam Huntington, Anita Briem, Peter Stormare, Taye Diggs. Roteiro: Thomas Dean Donnelly e Joshua Oppenheimer (baseado na obra de Tiziano Sclavi). Direção: Kevin Munroe. 

Veja também:
- Galeria com mais de 60 imagens do filme
- Notícias e notas de produção sobre Dylan Dog

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil