MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
02/08/2012
REVIEW - LIVRO: THE WALKING DEAD - A ASCENSÃO DO GOVERNADOR
 
 
The Walking Dead: A Ascensão do Governador
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Sim, sou suspeito ao afirmar isso, mas é inegável que Robert Kirkman transformou a HQ The Walking Dead (Os Mortos-Vivos) em um império multimídia, fazendo sucesso em qualquer formato ao qual é adaptada.

E no formato literário não foi diferente. Ao lado do romancista Jay Bonansinga, Kirkman iniciou uma bem sucedida trilogia cujo primeiro livro é The Walking Dead: A Ascensão do Governador.

E tudo começou bem já nos passos iniciais, quando da escolha do caminho a tomar. Ao contrário de outras obras derivadas de quadrinhos ou seriados, A Ascensão do Governador não é uma simples adaptação de uma HQ ou episódio em especial. Do mesmo modo e de maneira inteligente, não aborda a história dos personagens principais da franquia. Aqui, vemos pela primeira vez o início da trajetória do Governador, o vilão que conseguiu botar mais medo do que os milhares de zumbis já vistos na HQ e na TV.

Quem acompanha os quadrinhos, já sabe que o nome real do Governador é Phillip Blake e que ele tem uma filhinha chamada Penny. Sabe ainda que ele pode muito bem ser o ser humano mais aterrador já visto e que comandou Woodbury com mão de ferro.

Mas como era sua vida antes dos zumbis se espalharem pelo mundo e de sua chegada a Woodbury? Essas questões são apenas o começo do livro, que mostra Phillip em uma jornada por sobrevivência ao lado de sua família a amigos mais próximos.

Se você acha que as vidas de Rick Grimes e seus companheiros, seja nos quadrinhos ou na TV, foram difíceis, é porque ainda não leu o livro. A dupla de escritores consegue criar um clima ainda mais pesado do que tudo já feito antes com Os Mortos-Vivos, apresentando uma ótica ainda mais pessimista, num cenário opressor que em alguns momentos chega perto de justificar as ações desumanas que os sobreviventes vez por outra precisam tomar.

Os horrores e dificuldades encontradas por Phillip Blake criam empatia imediata com o personagem e seus companheiros. O sofrimento pelo qual eles passam é muito mais intenso do que poderíamos imaginar. Este grupo simplesmente nunca teve a (relativa) sorte que Rick Grimes e companhia tiveram. Para o grupo de Blake, tudo é pior. A violência, a depravação e as privações são intensificadas. Mesmo quando algo bom parece estar começando, é apenas sinal de que tudo vai piorar ainda mais. Essa situação quase deplorável torna a leitura mais cativante. Se num primeiro momento nos preocupamos com os personagens, logo nos vemos decepcionados e até aterrorizados com suas ações, numa montanha-russa de emoções.

Mais do que nunca The Walking Dead se torna um terror psicológico, enquanto assistimos à transformação de Phillip Blake de alguém protegendo os seus para algo inteiramente diferente, quase irreconhecível.

De maneira habilidosa, Kirkman e Bonansinga pegam um mundo e um personagem já conhecidos pelos fãs e vão contra a corrente. Era de se esperar que as coisas correriam de maneira previsível, já que todos sabem onde essa jornada terminará. Mas é aí que reside o charme do livro, pois, depois de emergirmos no angustiante e desesperador mundo de Phillip Blake, somos recompensados com surpresa atrás de surpresa, acabando a leitura sem termos mais dúvidas de que nada neste mundo é previsível.

E o melhor de tudo: este é apenas o primeiro dos três volumes.

The Walking Dead: A Ascensão do Governador (1ª edição, 2012) – De Robert Kirkman e Jay Bonansinga - Tradução de Gabriel Zide Neto - 360 páginas - formato 23 x 16 cm - R$ 34,90 - Galera Record.

Veja mais sobre The Walking Dead

Adquira as HQs da série Os Mortos-Vivos

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil